Número total de visualizações de página

Faixa Sonora

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

ÉS BELA

És bela, sim, quando, corando, foges
Dum beijo perseguida;
Ou quando cedes com mais pejo ainda,
Mas na luta vencida.

És bela, sim, quando, banhada em lágrimas,
Soltas mimosas queixas;
Ou quando, comovida por maus prantos,
Já ameigar-te deixas.

És bela, sim, à luz do Sol nascente
Regando tuas flores,
Ou com os olhos no ocaso e o pensamento
No país dos amores.

És bela sempre, e o mesmo fogo acendes
No coração do poeta;
És bela sempre, ó linda flor do prado,
Ó mimosa violeta.

Júlio Dinis (1839 – 1871)

2 comentários:

  1. Bela escolha, querido.As palavras nunca envelhecem!Me lembrou o meu último poema...

    Que bom que voltou!

    Beijos e ótima semana.

    ResponderEliminar
  2. Fez-me lembrar Garrett. Gostei muito.
    Grata pela visita!

    ResponderEliminar