Número total de visualizações de página

Faixa Sonora

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

SE OUSASSE DIZER...


Se ousasse dizer a boca
o que sente a alma minha,
senhora, eu tocar queria
onde a camisa vos toca.
 
Não é muito eu não dar caça
ao receio de perder-vos,
pois, senhora, no querer-vos
do mesmo modo se passa:
do chapim até à boca
vos adora a alma minha,
e só tocar eu queria
onde a camisa vos toca.
 
Se vos visse eu, ó senhora,
sem camisa vos tocasse,
e outro bem não desejasse
esta alma que vos adora,
e então olhos e boca
tocasse esta boca minha,
o demais eu tocaria
onde a camisa vos toca.
 
Sinto eu estranhamente
porque ela está-vos tocando,
e com morrer desejando
o que ela goza e não sente;
já que dif’rença há bem pouca
dessa tocadela à minha,
senhora, eu tocar queria
onde a camisa vos toca.
 
Jardim de Poesias Eróticas do Siglo de Oro
(tradução de José Bento)

1 comentário:

  1. Um desejo reprimido...
    Uma bela escolha, Mario.Gostei!

    Beijos, querido e bom domingo.

    ResponderEliminar