Número total de visualizações de página

Faixa Sonora

sábado, 25 de outubro de 2014

ALÉM DE MIM


Quando o sol é um sorriso desfazendo
A escuridão soturna,
Nos meus olhos, também amanhecendo,
É beijo aceso a lágrima nocturna…
E quando a noite, espectro de outro mundo,
Por sobre a terra desce,
Todo o meu ser – tão pálido! – arrefece
E se torna sem margens e sem fundo. . .
Assim a minha vida é o fim das Cousas,
Seu estranho e fantástico destino!
As serras fragarosas
E o sol, astro divino,
Perdem-se no meu corpo em tempestade…
Meu corpo… ignoto mar;
Enlouquecida estátua de saudade,
A sonhar, entre nuvens, e a falar…
Que existe além de mim?
Silêncio, fria treva, solidão;
Um vago Azul sem fim,
A sombra da futura Criação…


TEIXEIRA DE PASCOAES (1877-1952)
Belo. À Minha Alma. Sempre. Terra Proibida

1 comentário:

  1. Ao terminar o dia as cores arrefecem e deixamo-nos embeber numa sombra do que seremos depois.Um estado de alma poética e filosófica..

    ResponderEliminar